sábado, 24 de junho de 2017
Sobre o Território da Música
voltar à página inicial
Artistas de A a Z A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z #
Notícias
Agenda
Leia
Fotos
Promoções
Serviços
 
*publicado em 17/11/2014 - 18h11
Foo Fighters: Sonic Highways
Disco é uma ode à música norte-americana. E fica muito melhor quanto mais você entender isso.
Lizandra Pronin
Redação TDM
tamanho
da letra
Vale começar essa resenha dizendo que não tinha como "Sonic Highways" dar errado. Porque o Foo Fighters é uma grande banda, porque os convidados são músicos especiais e, talvez principalmente, porque a ideia do projeto é muito, mas muito legal.

Para quem (ainda) não sabe, um resumo: "Sonic Highways" é o oitavo álbum da banda e traz oito faixas gravadas em oito cidades norte-americanas. A ideia era captar o que cada uma dessas cidades poderia oferecer musicalmente e mesclar isso ao rock empolgante que o Foo Fighter sabe fazer.

A gravação do álbum, aliás, rendeu uma série televisiva em oito episódios - que levou o mesmo nome do disco - registrando os encontros musicais que culminaram no repertório. A série/documentário foi produzido pela HBO e está em exibição nos EUA - por aqui, só teasers e trechos como os que você vê abaixo. O fato de Dave Grohl, o dono da bola, ser o cara mais simpático do mundo é só um bônus do projeto. Mas vamos ao disco.

O repertório abre com "Something from Nothing", faixa escolhida como primeiro single, gravada em Chicago e com participação de Rick Nielsen, guitarrista do Cheap Trick. Dentro do esperado, o som é um hard com riffs pesados e com Grohl forçando as cordas vocais para acompanhar a agressividade da faixa. "The Feast and the Famine" segue essa vibe só que traz mais do lado hardcore punk do Foo Fighters, cortesia da participação dos caras do Scream.



Da Virgínia, a banda leva o ouvinte pra Nashville na terceira faixa. É "Congregation", com participação de Zac Brown e com um clima mais country - ainda que a faixa seja definitivamente um rock, com toda a sonoridade do Foo Fighters ali, bem na sua cara. Depois vem a balada radiofônica "What Did I Do? / God As My Witness" gravada no Texas com Gary Clark Jr.

Joe Walsh (Eagles) está em "Outside" e a cidade da vez é Los Angeles. Depois, o Sul do país recebe uma visita: "In the Clear" traz a Preservation Hall Jazz Band e a gravação acontece em Nova Orleans. É uma boa faixa mas talvez a cidade merecesse algo diferente, pois ela soa mais orquestrada do que influenciada por Nova Orleans. Seattle não podia faltar e "Subterranean" é a música que lhe representa - com Ben Gibbard, guitarrista e vocalista da banda indie Death Cab for Cutie como convidado.

Não há experimentalismos forçados em "Sonic Highways", mas o Foo Fighters tentou mapear a música norte-americana com uma leitura muito pessoal de estilos e história de cada região do país. Para quem não é norte-americano, obviamente, isso não tem lá um peso tão grande. Mas é bom contextualizar: Dave Grohl está falando da música de seu país, de suas influências e raízes. Ele chegou e descrever o álbum como uma "Carta de amor à história da música norte-americana". É bom ouvir o álbum com essa ideia na cabeça.



E por ter essa aura de ode à música norte-americana, "Sonic Highways" não tem a mesma urgência de "Wasting Light", o álbum anterior do grupo. Em muitos momentos, o Foo Fighters dá uma desacelerada tão grande que pode surpreender alguns fãs. É o caso de "I Am a River" que fecha o disco de forma um tanto arrastada. Gravada em Nova York, com Tony Visconti e Kristeen Young, ela tem um quê melancólico e um pé no post-rock.

A produção, mais uma vez, é de Butch Vig, baterista do Garbage, que também tem no currículo produções para Nirvana, Sonic Youth e Green Day, entre outros. Vale comentar também a capa do álbum, que traz a vista aérea de uma cidade que é uma mistura das oito cidades visitadas pela banda. Um oito pode ser visto na arte - um dos prédios tem o formato do número - e ele também é o símbolo de infinito.

Tanto para quem é fã de Foo Fighters, quanto para quem não é, "Sonic Highways" é um grande disco. Mas talvez o ideal fosse ouvi-lo depois de ver o documentário. As canções tendem a ganhar mais profundidade acompanhadas dos comentários dos convidados e de pessoas importantes nas cenas musicais de cada uma das cidades retratadas no disco.
01. Something from Nothing (Chicago, IL)
02. The Feast and the Famine (Arlington, VA)
03. Congregation (Nashville, TN)
04. What Did I Do? / God As My Witness (Austin, TX)
05. Outside (Los Angeles, CA)
06. In the Clear (New Orleans, LA)
07. Subterranean (Seattle, WA)
08. I Am a River (New York, NY)
Avaliação:
Selo: RCA Records
Ano de lançamento: 2014
Artistas relacionados: Foo Fighters
Avalie este lançamento
 
38,89%
 
38,89%
 
11,11%
 
0%
 
11,11%
Selecione a sua avaliação
e clique em votar.
* 18 votos registrados
Relacionadas
Relatar erros
 
ENQUETE
Que tipo de conteúdo você busca num site de musica?
Noticias
Entrevistas
Reportagens longas
Resenhas de discos
Resenhas e fotos de shows
Colunas temáticas