sábado, 20 de dezembro de 2014
Sobre o Território da Música
voltar à página inicial
Artistas de A a Z A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z #
Notícias
Agenda
Leia
Fotos
Promoções
Serviços
 
*publicado em 13/2/2014 - 11h24
Vários Artistas: A palavra acesa de José Chagas
Musicados, versos provam que a distância entre a poesia e a música pode ser muito pequena.
Lizandra Pronin
Redação TDM
tamanho
da letra
José Chagas é um poeta nascido na Paraíba mas maranhense de coração. Talvez você não o conheça, mas deveria se tem algum apreço por poesia. "A palavra acesa de José Chagas" pode ser uma feliz oportunidade de corrigir esse erro. E se você conhece as palavras de Chagas, é grata a experiência de ouví-la musicadas.

Dois poemas de Chagas já haviam ganhado versão musical nos anos 1970: "A Palafita" e "Palavra Acesa", feitas pelo grupo Quinteto Violado - essa última ficou conhecida quando tocou na novela Global "Renascer", em 1993. Se você tem mais de 25 anos e é/foi noveleiro, deve se lembrar do tema do personagem Tião Galinha.

Mas vamos ao disco. A obra é de autoria de Zeca Baleiro e do poeta Celso Borges que, entusiasmados com a poesia de Chagas, chamaram músicos e cantores para transformar 14 de seus poemas em canções. O resultado é um disco belíssimo que coloca em evidência o talento do paraibano/maranhense.

Zeca Baleiro conheceu o poeta ainda criança. Frequentava, em São Luis (Maranhão) a casa do jornalista Paulo Nascimento Moraes, que recebia diversos artistas. Nessas reuniões, Chagas sacava um saxofone e mostrava seu lado de músico amador. Mas já era conhecido pela literatura.



O disco abre com o próprio poeta recitando um fragmento: "No alto dos mirantes / me fiz e me desfiz / Soprai-me, brisas errantes / sobre toda São Luís". E é como se estivéssemos no mirante de Chagas que vemos sua obra se descobrir ao longo dos 43 minutos de belos versos musicados.

Há outros dois trechos recitados pelo próprio poeta e as demais faixas contam com cantores convidados. Além do próprio Baleiro o disco traz Fagner, Chico César, Tássia Campos, Tuco Marcondes, Chico Saldanha e Marcia Castro entre outros músicos e artistas. As canções são guiadas basicamente pelo violão e por elementos da MPB, mas o repertório soa variado, com pitadas de psicodelia aqui, rock acolá e regionalismos como baião e samba-coco também estão presentes.

Musicados, versos como os de "A Cidade Era Feita de Poesia", "Azul de Memória" ou de "Os Canhões do Silêncio" provam que a distância entre a poesia e a música pode ser muito pequena. Métrica, fonética e palavras bem escolhidas se fundem com belos arranjos, dedilhados e melodias.

Aos 89 anos, lenda viva da literatura, José Chagas não escreve mais. O que é uma pena considerando versos como os que ouvimos em "A palavra acesa de José Chagas".
01. Poema I
02. Os Canhões do Silêncio
03. A Cidade Era Feita de Poesia
04. Campoema
05. Noturno Nº 2
06. A Vida é Ciranda
07. Poema II
08. Palavra Acesa
09. Sobrado
10. A Ceia do Mundo
11. Azul de Memória
12. A Cidade
13. A Palafita
14. Poema III
Avaliação:
Selo: Saravá Discos
Ano de lançamento: 2013
Artistas relacionados: Zeca Baleiro
Avalie este lançamento
 
0%
 
0%
 
0%
 
0%
 
0%
Selecione a sua avaliação
e clique em votar.
* 0 votos registrados
Relacionadas
Relatar erros
 
ENQUETE
Que o ano novo traga...
O Van Halen ao Brasil
Dinheiro para ver todos os shows que eu quero
Tempo para ouvir todos os álbuns que baixei
Paciência para aguentar as músicas chatas que meu vizinho ouve