sábado, 25 de outubro de 2014
Sobre o Território da Música
voltar à página inicial
Artistas de A a Z A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z #
Notícias
Agenda
Leia
Fotos
Promoções
Serviços
 
*publicado em 13/2/2014 - 11h24
Vários Artistas: A palavra acesa de José Chagas
Musicados, versos provam que a distância entre a poesia e a música pode ser muito pequena.
Lizandra Pronin
Redação TDM
tamanho
da letra
José Chagas é um poeta nascido na Paraíba mas maranhense de coração. Talvez você não o conheça, mas deveria se tem algum apreço por poesia. "A palavra acesa de José Chagas" pode ser uma feliz oportunidade de corrigir esse erro. E se você conhece as palavras de Chagas, é grata a experiência de ouví-la musicadas.

Dois poemas de Chagas já haviam ganhado versão musical nos anos 1970: "A Palafita" e "Palavra Acesa", feitas pelo grupo Quinteto Violado - essa última ficou conhecida quando tocou na novela Global "Renascer", em 1993. Se você tem mais de 25 anos e é/foi noveleiro, deve se lembrar do tema do personagem Tião Galinha.

Mas vamos ao disco. A obra é de autoria de Zeca Baleiro e do poeta Celso Borges que, entusiasmados com a poesia de Chagas, chamaram músicos e cantores para transformar 14 de seus poemas em canções. O resultado é um disco belíssimo que coloca em evidência o talento do paraibano/maranhense.

Zeca Baleiro conheceu o poeta ainda criança. Frequentava, em São Luis (Maranhão) a casa do jornalista Paulo Nascimento Moraes, que recebia diversos artistas. Nessas reuniões, Chagas sacava um saxofone e mostrava seu lado de músico amador. Mas já era conhecido pela literatura.



O disco abre com o próprio poeta recitando um fragmento: "No alto dos mirantes / me fiz e me desfiz / Soprai-me, brisas errantes / sobre toda São Luís". E é como se estivéssemos no mirante de Chagas que vemos sua obra se descobrir ao longo dos 43 minutos de belos versos musicados.

Há outros dois trechos recitados pelo próprio poeta e as demais faixas contam com cantores convidados. Além do próprio Baleiro o disco traz Fagner, Chico César, Tássia Campos, Tuco Marcondes, Chico Saldanha e Marcia Castro entre outros músicos e artistas. As canções são guiadas basicamente pelo violão e por elementos da MPB, mas o repertório soa variado, com pitadas de psicodelia aqui, rock acolá e regionalismos como baião e samba-coco também estão presentes.

Musicados, versos como os de "A Cidade Era Feita de Poesia", "Azul de Memória" ou de "Os Canhões do Silêncio" provam que a distância entre a poesia e a música pode ser muito pequena. Métrica, fonética e palavras bem escolhidas se fundem com belos arranjos, dedilhados e melodias.

Aos 89 anos, lenda viva da literatura, José Chagas não escreve mais. O que é uma pena considerando versos como os que ouvimos em "A palavra acesa de José Chagas".
01. Poema I
02. Os Canhões do Silêncio
03. A Cidade Era Feita de Poesia
04. Campoema
05. Noturno Nº 2
06. A Vida é Ciranda
07. Poema II
08. Palavra Acesa
09. Sobrado
10. A Ceia do Mundo
11. Azul de Memória
12. A Cidade
13. A Palafita
14. Poema III
Avaliação:
Selo: Saravá Discos
Ano de lançamento: 2013
Artistas relacionados: Zeca Baleiro
Avalie este lançamento
 
0%
 
0%
 
0%
 
0%
 
0%
Selecione a sua avaliação
e clique em votar.
* 0 votos registrados
Relacionadas
Relatar erros
 
ENQUETE
O ano está acabando, o que entristece é que...
O salário, ó: uma m...
Nada do The Who marcar show por aqui
Ainda tem segundo turno
Todas as anteriores