sexta-feira, 24 de outubro de 2014
Sobre o Território da Música
voltar à página inicial
Artistas de A a Z A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z #
Notícias
Agenda
Leia
Fotos
Promoções
Serviços
 
*publicado em 15/8/2013 - 19h34
Asking Alexandria: From Death To Destiny
Seguindo fórmulas antigas, álbum traz bom instrumental
Katy Freitas
Redação TDM
tamanho
da letra
A banda britânica Asking Alexandria acabou de lançar seu terceiro disco de estúdio, que se chama “From Death to Destiny”, em tempo de apresentar esse material novo ao público brasileiro, que poderá conferir a banda ao vivo nas próximas semanas.

O ‘single’ “Death Of Me” é uma das mais músicas pesadas e ajuda a justificar o gênero metalcore que a banda se categoriza, além de ser bem estruturada. Quando ouvimos músicas como “Poison”, por exemplo, faz-se uma nova concepção do que pode ser o som da banda - pedaços pesados e partículas pós-grunge. "Break Down the Walls" e "White Line Fever" também trazem um pouco disso.

A faixa “Run Free”, uma das melhores do álbum, também foi lançada como ‘single’ e ganhou videoclipe para fazer vitrine do álbum. Foi uma boa escolha do Alexandria, uma vez que o disco caminho pelas mesmas ruas neste passeio de gêneros. Já o lado eletrônico está menos presente neste CD, mas ainda pode ser ouvido em "Believe".


É justo dizer que Ben Bruce (guitarra), Danny Worsnop (vocal), Cameron Liddell (guitarra), Sam Bettley (baixo) e James Cassells (bateria) trabalharam bem no instrumental de “From Death to Destiny”, com um punhado de riffs bons, linhas de baixo em destaque e boa pegada na bateria. Essa sensação de “banda afiada” pode ser creditada ao fato dos caras terem gravado parte do álbum em seu ônibus de turnê, onde instalaram uma sala à prova de som e mandaram ver nas gravações.

O disco vem 13 faixas novas, no entanto, é inevitável afirmar que muitas delas são mais do mesmo, como coisas que já ouvimos no início dos anos 2000, seguindo fórmulas batidas, um pouco new metal, passagens pesadas com vocal gutural, calmaria repentina e uma frase de violino e, de repente, o vocal suave e melódico, beirando um “romântico”. Milhares de bandas surgiram fazendo exatamente isso.

O trabalho, produzido por Joey Sturgis, que já trabalhou com os grupos The Devil Wears Prada e Of Mice & Men, também vem com uma participação especial do vocalista do Killswitch Engage, Howard Jones, na faixa "Until the End".
01. Don't Pray for Me
02. Killing You
03. The Death of Me
04. Run Free
05. Break Down the Walls
06. Poison
07. Believe
08. Creature
09. White Line Fever
10. Moving On
11. The Road
12. Until the End (com Howard Jones)
13. The Death of Me (Rock mix)
Avaliação:
Selo: Sumerian Records
Ano de lançamento: 2013
Artistas relacionados: Asking Alexandria
Tags: Resenhas
Avalie este lançamento
 
88,24%
 
5,88%
 
0%
 
5,88%
 
0%
Selecione a sua avaliação
e clique em votar.
* 17 votos registrados
Relacionadas
Relatar erros
 
ENQUETE
O ano está acabando, o que entristece é que...
O salário, ó: uma m...
Nada do The Who marcar show por aqui
Ainda tem segundo turno
Todas as anteriores