quarta-feira, 20 de setembro de 2017
Sobre o Território da Música
voltar à página inicial
Artistas de A a Z A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z #
Notícias
Agenda
Leia
Fotos
Promoções
Serviços
 
Steven Wilson: Músico encanta fãs na capital paulista
Edi Fortini
Redação TDM, 21/05/2013 - 17h30
tamanho
da letra
Foto: Edi Fortini/TDMusica
A semana começou bem para os muitos paulistanos que nessa segunda-feira, 20, puderam conferir a passagem do multi-instrumentista Steven Wilson na cidade pouco mais de um ano após sua primeira apresentação em solo brasileiro.

A atual turnê divulga seu terceiro álbum solo de estúdio, "The Raven That Refused To Sing (And Other Stories)", lançado em fevereiro deste ano. Sua banda extremamente competente dessa vez contou com Guthrie Govan (guitarra), Adam Holzman (teclado), Theo Travis (flauta e sax), Nick Beggs (baixo) e Chad Wackerman (bateria), sendo Chad o único membro que não participou das gravações do último disco.

Anteriormente Wilson havia dito que a complexidade de seu espetáculo era perfeitamente comportada tanto numa casa de shows, como num teatro e dessa vez, o público pode conferir como seria essa segunda opção, pois o local escolhido foi o pomposo Teatro Bradesco, dentro do Bourbon Shopping, na zona oeste de São Paulo.

Quem esteve na primeira apresentação de Steven (que pode ser conferida aqui), notou algumas diferenças na estrutura do show, mostrando que a criatividade desse artista pode fazer um show diversificado dentro de um mesmo conceito audiovisual.

Pontualmente às 21h00, a música de introdução teve início, com diversas projeções com o conceito da “lua” do último álbum e durou exatamente meia hora.

Aos poucos os músicos foram entrando e Wilson foi o último a se posicionar no palco, que a princípio contava somente com o jogo de luzes (na última turnê havia uma espécie de “tela” entre o palco e o público) e os primeiros acordes de “Luminol” fizeram com que o público presente aplaudisse bastante a banda.

No meio da música, alguém errou alguma parte e fez com que o Wilson, conhecido pelo seu perfeccionismo parasse o show. “Isso aqui está horrível”, ele disse. “Isso nunca aconteceu antes. Vocês poderiam simplesmente esquecer que isso existiu para que recomeçássemos o show?” e novamente a projeção da “luazinha” apareceu. A música começou de novo, e o show prosseguiu sem mais erros, com “Drive Home” e “Pindrop” na sequência.

Ao final da terceira música, Wilson comenta com o público que acha muito estranho tocar num local onde todos estão sentados e convida-os para se levantar e se aproximar do palco. Muitos atendem o chamado e o show continua com “Postcard”.

O setlist foi o mesmo apresentado em todos os shows da América do Sul (antes de fechar a turnê sulamericana em São Paulo, ele passou pelo Chile e pela Argentina). Além de todo o último álbum tocado na íntegra, Wilson também tocou “Deform to form a star”, “Insurgentes”, “No Part of me”, dentre outras, porém os grandes destaques foram para “Index” (que foi o único momento onde a tal “tela” entre palco e plateia foi colocada, com algumas projeções maravilhosas), “Harmony Korine” (quando Wilson explicou que “roubou” o nome de um conceituadíssimo diretor de cinema cult para sua música e aconselhou que as pessoas vissem suas obras) e a já esperada música de 26 minutos “Raider II”, que conta a história de um serial killer famoso como Assassino BTK (Bind, Torture, Kill, ou Amarrar-Torturar-Matar), que teve mais de 10 vítimas em seu currículo. Nessa faixa, Wilson pede para que o público fique em total silêncio, para não atrapalhar o clima da música.

O show terminou com a lindíssima faixa título, “The Raven That Refused to Sing”, com o videoclipe ao fundo e a certeza de ser uma das melhores faixas que Wilson já fez. Após um breve intervalo, Steven volta aos palcos para mais um pouco de papo. Nos shows anteriores, o bis contou com “Radioactive Toy”, do Porcupine Tree, e como algumas pessoas começaram a pedir essa música assim que ele voltou, ele brincou com o público dizendo que alguém andou fuçando a internet e logo deu início a ela, agradando a todos os fãs de sua banda.

Apesar do músico não ter planos em mente para um retorno do Porcupine, banda que o consagrou na cena musical, os fãs ainda esperam que ele se lembre desse legado a cada show e que num futuro ele mude de ideia, pois o Porcupine carrega uma magia musical que agrada a muitos.

Artistas relacionados: Steven Wilson, Guthrie Govan
Tags: Shows
Relacionadas
Relatar erros
 
ENQUETE
Que tipo de conteúdo você busca num site de musica?
Noticias
Entrevistas
Reportagens longas
Resenhas de discos
Resenhas e fotos de shows
Colunas temáticas